Links Úteis
Confidencial

Subscrever Newsletter

Cultura & Média

«Voz de Paz»

Guiné-Bissau: ONG lança livro sobre as causas dos conflitos no país

Bissau – A ONG guineense Voz de Paz, lança esta quarta-feira, o livro «Voz de Paz», uma obra que compila várias ideias sobre as causas dos conflitos na Guiné-Bissau.

É a primeira recolha exaustiva sobre as causas dos conflitos na Guiné-Bissau. A obra que é lançada hoje, a primeira do género, reflecte ideias, opiniões e perspectivas exprimidas por guineenses que tomaram parte nas várias sessões de auscultação sobre o tema dos obstáculos à paz na Guiné-Bissau. O livro dá um largo espaço a testemunhos e declarações da população enquanto ilustração das preocupações levantadas. Tudo isto se resume em «Voz do Povo», sendo a ONG que dirigiu o projecto, a Voz de Paz.

O livro de 113 páginas espelha 17 temáticas de conflitos identificadas nas auscultações realizadas em 38 sectores administrativos e todas as regiões da Guiné-Bissau. A obra fala do tribalismo, tráfico de droga, instabilidade política e institucional, má administração da Justiça, enfraquecimento do Estado e má governação, pobreza, corrupção e fraca cultura de diálogo, entre outros temas que reflectem a realidade do país.

Quanto à implicação das Forças Armadas na instabilidade há muito reinante, que muitos defendem que deve constar das causas dos conflitos, os autores do estudo argumentam que a intervenção dos militares é um fenómeno que reflecte a consequência dos problemas. Seja como for, das sessões de auscultação efectuadas e que resultaram nesta obra, registaram-se opiniões sobre a intervenção das Forças Armadas na vida sociopolítica.

Também as Forças Armadas e da Defesa foram ouvidas nas auscultações públicas. Mil militares e paramilitares tiveram a oportunidade de se exprimir em painéis, quer mistos quer específicos, sobre obstáculos a paz. A este respeito, de recordar que em 2008 e 2009, três mil pessoas, nomeadamente representantes da sociedade civil, Estado, de instituições privadas, tradicionais e religiosas, dos media, sobretudo rádios comunitárias, assim como membros dos Espaços Regionais de Diálogo, foram convidadas pela ONG Voz de Paz e participar nas sessões públicas relativamente às causas de conflito na Guiné-Bissau.

Lassana Cassamá

(c) PNN Portuguese News Network

2011-02-16 16:43:59

MAIS ARTIGOS...
  Morreu Gabriel García Márquez, aos 87 anos
  Guiné-Bissau: General da POP na reserva lança livro
  Repórteres Sem Fronteiras publica relatório «Inimigos da Internet»
  Moçambique: Morreu o escultor Naftal Langa
  Tito Paris e Paulo Gonzo estão confirmados para os Cabo Verde Music Awards
  RSF apresenta «Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2014»
  Rede social «Facebook» comemora dez anos
  «Maghreb/Machrek: Olhares Luso-marroquinos sobre a Primavera Árabe»
  Filme sobre Mandela estreia esta quinta-feira
  Guiné-Bissau: Conferência «Os Media e o Interesse Nacional» decorreu esta quinta-feira
  Reguladores da Comunicação Social da CPLP reúnem em São Tomé
  Agências de notícias de Língua Portuguesa lançam plataforma digital

Comentários

Nome:

E-mail:

Comentário:


Comentários
  
Filangola  2012-04-23 11:03:44
eu quero obter este livro que retracta sobre as causas do conflito na Guine Bissau, por favor alguém pode me ajudar a obter este livro.

Daniel Pedro  2012-04-22 13:50:39
eu querias saber as verdadeiras causas dos conflitos da Guina Bissau, por favor enviam - me estou a presisar.

cema  2011-04-10 01:19:40
Estou fazendo um documentário sobre guiné-bissau, gostaria de comprar o livro "Voz da Paz" editado pela ONG guineense Voz de Paz, conforme noticiado no jornal digital de Bissau, como devo proceder? podem me fornecer o site da ONG? ou outro meio de comunicação para comprar o livro? Sou brasileira, e gosto muito do povo guineense! um abraço a todos!!

amadu saliu balde  2011-02-19 13:55:27
e bom no tené livro sobre conflito di no pais pé pudi burgunho nos éta muda sé comportamento nada inka tené de papia mais so és kin tené obrigado.

Florentino Soares Martins  2011-02-17 13:22:03
Estou muito feliz e grato pela ONG,espero e desejo um resultado positivo nas pessoas que terão privilegios de desfrutarem dos conteúdos escritos no livro.
A guiné Bissau merece a paz estabilidade e desenvolvimento,tão pequeno que é,já poderia desaparecer de tanto sofrimento que teve,não apena das pessoas estrangeiras,mas pior de tudo dos seus próprios filhos...
Irmãos guineenses,eu acredito na força do grito,(Sudão,Egito,Iraque,Irã,etc),condeno qualquer forma da violência que coloca em risco a vida de um ser humano, que é a coisa mais preciosa que natureza possui...
Todos nós,filhos da bendita mamãe Guiné,devemos gritar sem cessar,até ver a nossa mãe livre da opressão dos filhos rebeldes.
Tenho um sonho de ver aquela nação viver os sonhos de seu grande e inesquecível filho Amilcar Lopes Cabral.
Viva a Guine Bissau,viva o povo guineense.


ricardo jorge caetano  2011-02-16 23:09:31
Antes de tudo dou um grande agradecimentos para as pessoas que tiveram a ideia desse tão grande trabalho que não so nos revelou certas causas do conflito no pais,mais sim de uma proximidade de uma politica democratica no seio dos que deram e participaram para renonciar do que tem achado como a causa do conflito no pais.E espero que havera mais aderencia para a proxima edição, que tera ao meu ponto de vista como o objectivo a procura de solução para os fénomènos citados.
NO DJUNTA MON PA NO CUMPUNO GUINE...NO CRITICA KU SOLUCAO.


maximiano  2011-02-16 22:19:26
Agradeço muito o lançamento desta obra que empenha na procura da paz pelo nosso povo!!!!
para contrariar o comentario feito contra a religião católica...
se existe os promotores da paz na Guiné igual ao religiosos católicos seriamos
os povos mais humildes na Àfrica, tudo isso tem a ver com as provas palpavais,
visto pelos Guineenses e pelo Mundo, só as pessoas que não quer contribuir mesmo pela paz na guiné e no mundo pode ter esses ideias vagas;

Os maus politicos da guiné são Católicos?
Até pelo menos existe os nomes para mensionar que não é necessário dezer que merece um prémio de bem dizer dos povos Guineenses, não falta de agradecimento.

Pois procura com cuidado ou seja onde fica o ponto e fator da desestabelidadeda Guiné; ou seja sabe e tem médo de dizer?

sejam homem de Deus não de demónios.


Sabado Maria Correia  2011-02-16 18:23:18
Muito gratificante o que li resumidamente feito por quem escreveu. Gostei e espero que seja um livro que vá ao encontro das nossas preocupações e que saibamos aproveitar o seu ensinamento.
A obra fala do Tribalismos,tráfico de droga etc,etc, mas esqueceu-se infelizmente de falar se um problema que poderá vir a complicar muito o nosso País: A Igreja Católica na política da Guiné Bissau. è uma pena,pois que como igreja devia cingir a educar e evangelizar e não apoiar pessoas engajadas na política. Farão ideia o que representa para um País guerra religiosa? Na Guiné-Bissau será difícil ou quase impossível guerra étnica, mas que Deus nos livre e guarde da guerra religiosa. Faço portanto apelo que a Igreja Católica da G.B. se afaste da política para o bem deste povo martirizado.


Moisés da Silva  2011-02-16 18:21:57
COM A PAZ E JUSTIÇA´. TRAZ PARA TODO POVO, EDUCAÇÃO SAÚDE E AMIZADE. MAS COM ISSO CHEGOU A HORA DE SENTARMOS A MESMA MESA DESCUTIR O PROBLEMA DO NOSSO PAÍS DEVEMOS TOMAR EXEMPLOS DOS OUTROS PAISES NÃO É COM A GUERRA QUE CHEGARAM ONDE QUE ESTÃO AGORA , MAIS SIM PELA COMPETÊNCIA HABILIDADES E ESFORÇO DE TODOS NÃO É DIZER " AMI NHA BOKA KA STA LÁ" SI KUDI NA BAI OTRU TERRA , MAS GUINÉ I DI NOS NINKAU NINGUI KA NA BAI TERRA NA SIBA SÓ HORA KU NO RISPITA UTRO ERMO, PA KILA NA FALA TUDO GUINEENSI CORAGEM KAULKER DIA NO RANKA SOMA ANGOLA...

VIVA GUINE : O FUTURO PERTENCE AOS ORGANIZADOS POR NÃO PODEMOS ... ACREDITO QUE TEMOS HOMENS E GUADROS PARA O FAZEREM.



ESTUDANTE DA UNIVERSIDADE LUSOFONA DA GUINÉ GESTÃO DE RECURSOS HUMANO 3º ANO



Hospedagem de Sites Low CostJornal Digital Cabinda Digital Timor Digital Luanda Digital Jornal de São Tomé Cabo Verde Maputo Digital
Notícias grátis no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais