Links Úteis
Confidencial

Subscrever Newsletter

Economia

Direcção-geral das Alfândegas

Guiné-Bissau: Governo denuncia lucros exagerados por parte dos comerciantes nacionais

Bissau – O Governo guineense, através da Direcção-geral das Alfândegas da Guiné-Bissau, denunciou que os comerciantes nacionais ganham «lucros exagerados» na venda dos seus produtos no mercado nacional.

A denúncia surgiu na sequência das reclamações por parte dos operadores económicos, que ainda recusam apresentar as facturas originais de compra e venda das suas mercadorias no mercado internacional, para o efeito de certificação por parte de uma empresa contratada pelo Governo para realizar esta função, a «Bissau Link».

Em declarações à PNN, Francisco Rosa Cá, responsável máximo desta instituição, sublinhou que a situação não é admissível com lucros acima de 200%, tendo dado o exemplo da comercialização de cabelos humanos.

«Não podemos permitir pessoas a ter muitos lucros, acima de 100%, até mil por cento. Feitos os cálculos, por exemplo, as taxas de despacho de cabelos humanos são avaliadas por quilograma, mas o porquê destes preços elevados, com lucros exagerados?», questionou Rosa Cá.
Perante esta realidade, o responsável instou os operadores económicos no sentido de cumprirem as suas obrigações, pagando os despachos ao Estado nos valores correspondentes aos demais produtos importados para o mercado nacional.

Por outro lado, informou que a base tributária de desalfandegamentos do arroz, açúcar e farinha não foram alterados desde 2010 até à presente data, questionando em seguida o motivo da especulação de preço dos produtos de primeira necessidade.

«A base a partir da qual as taxas destes são calculadas mantiveram-se desde há cinco anos. A base e as taxas não foram alteradas porque o Governo definiu que não seriam, mas registámos que os nossos comerciantes continuam a aumentar os preços dos produtos de primeira necessidade», acusou.

Francisco Rosa Cá revelou as intenções dos operadores nacionais numa das reuniões em que alguns deles afirmaram que, se tivessem apresentado as facturas reais não teriam o negócio dos seus produtos no mercado.

(c) PNN Portuguese News Network

2015-02-19 11:55:10

MAIS ARTIGOS...
  Guiné-Bissau: Ministro das Finanças confirma crescimento económico do país
  Royal Air Maroc recruta jovens guineenses como assistentes de bordo
  Guiné-Bissau: População de Varela ameaça boicotar reunião com empresa Poto
  Guiné-Bissau: Governo pretende elaborar orçamentos realistas
  Guiné-Bissau: Governo confirma moratória de cinco anos para corte de madeiras
  Guiné-Bissau vai beneficiar por ser um dos Países Menos Avançados
  Barcos com cadávares dão à costa do Japão
  Guiné-Bissau: Banco Mundial revê despesas na Defesa e Segurança
  Hollande e Putin juntam-se para analisar em Moscovo ofensiva ao EI
  Governo assina com BAD acordos de financiamento de 19 mil milhões de Francos Cfa
  Guiné-Bissau: Governo disponibiliza mais mil milhões de Francos Cfa para financiar micro créditos
  Guiné-Bissau disposta a receber propostas de investimentos chineses

Comentários

Nome:

E-mail:

Comentário:



Hospedagem de Sites Low CostJornal Digital Cabinda Digital Timor Digital Luanda Digital Jornal de São Tomé Cabo Verde Maputo Digital
Notícias grátis no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais