Links Úteis
Confidencial

Subscrever Newsletter

Economia

Com destaque para a produção do arroz

Guiné-Bissau tem grandes potencialidades agrícolas subaproveitadas

Bissau – A Guiné-Bissau dispõe de uma grande potencialidade agrícola, com destaque para a produção de arroz, mas é subaproveitada.

Esta conclusão consta no relatório final do estudo do sector do arroz, análise de cadeia de valor realizado pela Sociedade Comercial de Serviços, no quadro do Projecto Acções Integradas em Nutrição e Desenvolvimento Agrícola, com apoio financeiro da União Europeia.

O documento em causa, que a PNN consultou, destaca que é possível produzir arroz no país para atingir auto-suficiência alimentar e posteriormente exportar para o estrangeiro.

«O défice nacional é estimado entre 85.787 a 89.790 toneladas de arroz por ano. O sistema de produção é ainda, na sua maioria, arcaico com um rendimento por hectare abaixo do standard», lê-se no documento.
Entre várias conclusões que constam do estudo, a ser validado esta sexta-feira, 13 de Março, num atelier, destaca-se ainda que o desenvolvimento do sistema de produção na ecologia do planalto tem vindo a ser feito em deferimento do factor ambiental com o seu impacto negativo, enquanto o sistema de produção na ecologia de Bas-fonds, mangrove e irrigação apresentam melhores resultados, tanto do ponto de vista económico como ao nível ambiental.

«Tem sido feito pouco investimento na fileira do arroz, não existem créditos agrícolas, há falta de políticas de incentivos fiscais na importação dos equipamentos destinados à produção do arroz, não existe uma política proteccionista de produção local em relação às importações», conclui o documento.

Por outro lado, o estudo informa que o objectivo estratégico do Governo é de atingir para a auto-suficiência alimentar em arroz num horizonte temporal de cinco anos, ou seja, até 2020, com uma produção de 450.000 toneladas, contra as 200.000 toneladas actuais, sendo que até 2025 deve exceder na ordem das 500.000 toneladas para exportação, aproveitando um total 54.000 hectares de terrenos baixos.

Em termos de recomendações, o documento recomenda ao Governo no sentido de melhorar a capacidade do Instituto Nacional de Pesquisa Agrária, no domínio da pesquisa rizícola, promoção de actividades de vulgarização baseadas no modelo «Farmer´s Field School», elaborar projectos de escolas técnicas agrícolas e estabelecer a reserva de máquinas para o uso da lavoura mecanizada e reabilitação ou construção de novos perímetros de arroz irrigado.

O documento termina com recomendações ao Executivo de Domingos Simões Pereira, nomeadamente sobre a instituição de crédito agrícola bonificado a curto e médio prazo e sistema de micro finanças, em parceria com as instituições financeiras, para o financiamento de cadeia hortícola, tendo como impacto a criação de um ambiente favorável ao crescimento ao longo da cadeia rizícola.

(c) PNN Portuguese News Network

2015-03-12 12:15:04

MAIS ARTIGOS...
  Guiné-Bissau: Ministro das Finanças confirma crescimento económico do país
  Royal Air Maroc recruta jovens guineenses como assistentes de bordo
  Guiné-Bissau: População de Varela ameaça boicotar reunião com empresa Poto
  Guiné-Bissau: Governo pretende elaborar orçamentos realistas
  Guiné-Bissau: Governo confirma moratória de cinco anos para corte de madeiras
  Guiné-Bissau vai beneficiar por ser um dos Países Menos Avançados
  Barcos com cadávares dão à costa do Japão
  Guiné-Bissau: Banco Mundial revê despesas na Defesa e Segurança
  Hollande e Putin juntam-se para analisar em Moscovo ofensiva ao EI
  Governo assina com BAD acordos de financiamento de 19 mil milhões de Francos Cfa
  Guiné-Bissau: Governo disponibiliza mais mil milhões de Francos Cfa para financiar micro créditos
  Guiné-Bissau disposta a receber propostas de investimentos chineses

Comentários

Nome:

E-mail:

Comentário:


Comentários
  
juviecson nunoorreia  2015-03-16 16:30:21
bravo meu foi a proidade do governo para comprer as promessas do povo foi harea de concorencia regeonal e internacional asuficiencia alinmenter.
par que seja mais segora recorsos homano é la falta formaçao e cretos suficientes para que os jovens trabalha.nos temos sonhos que um ia chegar


JEAN CHRISTOPHE BADINKA  2015-03-16 13:34:43
ao ler este documento fiquei imenso entuasmado porque sao esses tipos de iniciativas que sempre faltam a este pais meu para acabar com dependecia alimentar.o que qeria acrescentar é que os politicos mantessem esforços para uma estabilidade politica duravel porque sem paz nao ha possidades de trabalhar. penso muito que os guinenses na sua maioria vao se mobilizarem neste sentido.


Hospedagem de Sites Low CostJornal Digital Cabinda Digital Timor Digital Luanda Digital Jornal de São Tomé Cabo Verde Maputo Digital
Notícias grátis no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais