Links Úteis
Confidencial

Subscrever Newsletter

Política

Dos 81 membros da Comissão Política, 78 votaram contra

Guiné-Bissau: PRS recusa integrar o governo do PAIGC liderado por Carlos Correia

Bissau - A Comissão Política Nacional do Partido da Renovação Social (PRS), decidiu esta segunda-feira 28 de Setembro, indeferir o convite formulado pelo Partido Africano para a Independência de Guiné e Cabo Verde (PAIGC), para integração do PRS no próximo executivo.

A decisão foi tornada pública após três horas de reunião do órgão dos Renovadores, em que o porta-voz do partido, Vitor Pereira, justificou a posição devido à “falta de clareza” no convite do PAIGC e destacando que o número de pastas propostas à sua formação política “não correspondiam com o peso do partido na Assembleia Nacional Popular”, revelando por outro lado que o PAIGC não foi específico no convite sobre quais as pastas que atribuiria ao PRS.

Momentos antes do início da reunião da Comissão Política, o porta-voz do Partido da Renovação Social dava sinal do que podia acontecer. “O PAIGC é que tem que apresentar proposta, mas até agora não há uma proposta cabal. Há coisas absolutamente soltas, hoje é uma coisa e amanhã é outra”, revelou Vitor Pereira.

Dos 81 membros da Comissão Política Nacional presentes, 78 votaram contra a adesão do partido ao próximo governo, tendo sido registado um voto a favor e duas abstenções.

Apesar da vitória nas últimas legislativas com a maioria absoluta, obtendo 57 dos 102 deputados da Assembleia Nacional Popular, o PAIGC não queria abdicar do PRS, que conta com 41 deputados, para garantir a estabilidade governativa.

Há 47 dias que a Guiné-Bissau está sem governo, na sequência da demissão do executivo do Domingos Simões Pereira a 12 de Agosto através de um decreto do Presidente José Mário Vaz.

Iancuba Dansó

(c) PNN Portuguese News Network

2015-09-29 06:22:10

MAIS ARTIGOS...
  ONU quer o cumprimento das leis na Guiné-Bissau
  Crise parlamentar é de natureza política e não compete aos tribunais resolver
  Presidente retoma audições com atores políticos envolvidos na crise
  CEDEAO inicia retirada militar de Bissau
  A Comunidade Internacional “pode perder paciência” com situação na Guiné-Bissau
  CPLP preocupada com situação política na Guiné-Bissau
  Tribunal anula expulsão de deputados pelo PAIGC
  Obasanjo regressa à Guiné-Bissau para tentar, mais uma vez, desbloquear impasse político
  PRS quer pacto de regime para salvar Guiné-Bissau
  Governo adverte que qualquer tentativa de violência para desestabilizar país será reprimida
  Homens armados assaltaram a residência de João Bernardo Vieira em Bissau
  Movimento de Apoio a Carlos Gomes Júnior apela ao regresso do antigo Primeiro-ministro

Comentários

Nome:

E-mail:

Comentário:


Comentários
  
Marciano Na Bassu  2015-10-02 14:08:50
PAIGC como vencedor das últimas eleições legislativas pode e deve formar o seu governo.É muito urgente a criação do novo governo para que o país possa sair da situaçao em que se encontra. acho que o PAIGC nao pode estar a demorar pois a responsabilidade é dele. e se quiser estabelecer um pacto com o PRS tem que ser preciso porque a politica é negociaçao em os implicados devem sair a ganhar.


Hospedagem de Sites Low CostJornal Digital Cabinda Digital Timor Digital Luanda Digital Jornal de São Tomé Cabo Verde Maputo Digital
Notícias grátis no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais