Links Úteis
Confidencial

Subscrever Newsletter

Política

Chefe de Estado rejeita proposta de Carlos Correia

Guiné-Bissau: Presidente não quer Simões Pereira nem os ministros demitidos no novo Governo

Bissau – O presidente guineense, José Mário Vaz, rejeitou a proposta de composição do novo Governo apresentada por Carlos Correia alegando que esta é composta a 80% por membros do Governo demitido e especialmente por constar na lista Domingos Simões Pereira.

Considerando “o surgimento, tão surpreendente quanto estranho” do nome de Domingos Simões Pereira assim como de 80% dos membros do “seu demitido Governo”, José Mário Vaz, por intermédio do seu porta-voz Fernando Mendonça, defende que é necessário “reformular as propostas quer da estrutura orgânica do Governo, quer do elenco Governamental”, rejeitando assim a proposta do primeiro-ministro Carlos Correia.

Segundo Fernando Mendonça, o presidente “está convencido de que o PAIGC, a sociedade e a diáspora guineense dispõem de um leque variado de quadros competentes em condições de conferir maior idoneidade e credibilidade ao executivo”.

A grave crise política que mergulhou a Guiné-Bissau disparou a 12 de Agosto quando o presidente José Mário Vaz demitiu o então primeiro-ministro Domingos Simões Pereira e nomeou por sua iniciativa Baciro Djá para chefe de um novo executivo. Uma medida que seria considerada inconstitucional pelo Supremo Tribunal o qual lembrou ao presidente as competências do Chefe de Estado, sendo este obrigado a aceitar a demissão de Baciro Djá e do seu governo que não conseguiu estar em funções mais 48 horas.

José Mário Vaz foi forçado a recomeçar o processo de nomeação de um novo primeiro-ministro tal como prevê a Constituição, ouvindo todos os partidos e finalmente pedir ao PAIGC, como partido vencedor das eleições, para indicar três nomes para seleccionar o novo chefe do Executivo. O nome consensual foi Carlos Correia, um veterano com 81 anos, muito respeitado por todas as facções que guerreiam entre si no interior do PAIGC.

Frequentemente acusados de serem o motor das instabilidades crónicas na Guiné-Bissau, os militares guineenses permanecem “serenamente” atentos face aos desenvolvimentos políticos no país. “Fomos sempre acusados de provocar as crises no país, mas são os políticos que estão a demonstrar que são eles mesmo a causa dos problemas”, disse fonte militar.

Esta crise, para além de ter consequências devastadoras para a imagem da Guiné-Bissau que depende totalmente das ajudas externas, está progressivamente a paralisar o país que a Global Finance Magazine qualificou como um dos mais pobres do mundo.

(c) PNN Portuguese News Network

2015-10-07 08:22:54

MAIS ARTIGOS...
  ONU quer o cumprimento das leis na Guiné-Bissau
  Crise parlamentar é de natureza política e não compete aos tribunais resolver
  Presidente retoma audições com atores políticos envolvidos na crise
  CEDEAO inicia retirada militar de Bissau
  A Comunidade Internacional “pode perder paciência” com situação na Guiné-Bissau
  CPLP preocupada com situação política na Guiné-Bissau
  Tribunal anula expulsão de deputados pelo PAIGC
  Obasanjo regressa à Guiné-Bissau para tentar, mais uma vez, desbloquear impasse político
  PRS quer pacto de regime para salvar Guiné-Bissau
  Governo adverte que qualquer tentativa de violência para desestabilizar país será reprimida
  Homens armados assaltaram a residência de João Bernardo Vieira em Bissau
  Movimento de Apoio a Carlos Gomes Júnior apela ao regresso do antigo Primeiro-ministro

Comentários

Nome:

E-mail:

Comentário:


Comentários
  
Mamadu Krumam  2015-10-07 09:30:49
Ao meu ver resolução desta problema primeiro cada guineense deve saber de que essa nossa patria será construido por seus filhos. então como sendo guineenses a verdade é unico falar verdade é o nosso diver. E tambem sem deisar dialogo de fora, porque resolver um problema desta é bom que prevalecer dialogo entre familia guineense. para finalisar (é bom que trabalhar muito antes de falar muito para que o nosso país seja desenvolvido mais rapido posivel obrigado).


Hospedagem de Sites Low CostJornal Digital Cabinda Digital Timor Digital Luanda Digital Jornal de São Tomé Cabo Verde Maputo Digital
Notícias grátis no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais