Links Úteis
Confidencial

Subscrever Newsletter

Internacional

Dublin de 4 a 6 de Novembro

Mais de uma centena de activistas dos Direitos Humanos reuniram na Irlanda

Dublin – Representando mais de uma centena nações, 118 activistas e especialistas participaram na VIII Plataforma de Dublin para Defensores de Direitos Humanos que tinha como objectivo a análise e denúncia da repressão que atinge os defensores de Direitos Humanos (DH) e promover os seus trabalhos internacionalmente.

Na abertura do evento Michel Forst, relator especial da ONU sobre a Situação dos Defensores dos Direitos Humanos, disse que em países de todas as regiões do mundo activistas dos DH são “escolhidos como alvos, ameaçados, detidos arbitrariamente, torturados ou mortos”, considerando necessário expor as “violações abomináveis” exercidas contra os activistas.

Durante três dias activistas e vítimas dos direitos humanos do México, Iraque, Guatemala, Burundi, Honduras, Paquistão, Somália, Líbano, Bangladesh, Mongólia, entre outros, partilharam experiências e definiram estratégicas a serem tomadas na prevenção e minimização de riscos.

Os testemunhos e conclusões da VIII Plataforma de Dublin vão constituir a base de um debate no Conselho de Direitos Humanos previsto para Março de 2016 que, segundo Michel Forst, irá “demonstrar aos governos cépticos” que existem formas encorajadoras para apoiar e defender melhor os activistas

Esteve também presente na VIII Plataforma de Dublin o jornalista e activista dos Direitos Humanos angolano, Coque Mukuta, que esta sexta-feira partilhou “três episódios” que registou em Angola.

Segundo Coque Mukuta em 2012 a polícia e os serviços de inteligência angolanos “mataram por fuzilamento e asfixia dois activistas, Alves Camolingue e Isaías Cassule, apenas porque tentavam organizar uma manifestação em apoio aos antigos combatentes”. Em 2013 “a Guarda do Presidente da República, José Eduardo dos Santos no poder há 36 anos, fuzilou Hilbert Ganga um activista político que colava apenas panfletos para exigir justiça no caso de Cassule e Camolingue” denunciou também Coque Mukuta que acrescentou: “Temos hoje em prisões solitárias, há mais de quatro meses, 15 jovens conhecidos como defensores dos direitos humanos acusados de tentarem organizar um golpe de estado”.

Várias vezes vítima de agressões e detenções Coque Mukuta é co-autor do primeiro volume do livro “Os Meandros das Manifestações em Angola”, que descreve as manifestações contra o governo ocorridas em Angola em 2011 e início de 2012 que foram violentamente reprimidas.

A VIII Plataforma de Dublin para Defensores de Direitos Humanos decorreu de 4 a 6 de Novembro na Irlanda, é uma iniciativa da Front Line, Fundação Internacional para a Protecção dos Defensores de Direitos Humanos, fundada em Dublin a 22 de Fevereiro de 2001 com o objectivo de proteger defensores de direitos humanos em risco.

(c) PNN Portuguese News Network

2015-11-06 18:11:50

MAIS ARTIGOS...
  UE e Turquia reúnem-se para analisar distribuição de refugiados
  Suíça divulga lista de contas inactivas sem herdeiros
  EUA: Escolas reabrem em Los Angeles
  Arábia Saudita lidera coligação de países islâmicos para combate ao terrorismo
  Merkel põe restrições à entrada de refugiados na Alemanha
  Professor esfaqueado em Paris indivíduo que invocou o Estado Islâmico
  Estado Islâmico dirige-se ao interior da Líbia «por causa do petróleo»
  Mulheres sauditas vão votar pela primeira vez este sábado
  Coreia do Norte: Kim Jong-un confirma que país tem bomba de hidrogénio
  Angela Merkel foi eleita «personalidade do ano» pela revista Time
  Identificado terceiro terrorista do ataque ao Bataclan em Paris
  EUA: Depois do ataque na Califórnia Obama promete destruir o DAESH

Comentários

Nome:

E-mail:

Comentário:



Hospedagem de Sites Low CostJornal Digital Cabinda Digital Timor Digital Luanda Digital Jornal de São Tomé Cabo Verde Maputo Digital
Notícias grátis no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais