Links Úteis
Confidencial

Subscrever Newsletter

Economia

Fundo do Kuwait

Guiné-Bissau: Governo disponibiliza mais mil milhões de Francos Cfa para financiar micro créditos

Bissau – O Governo guineense, através da Agência de Promoção das Actividades de Poupanças e micro-crédito (APAPM) disponibilizou mais de mim milhões de Francos Cfa, do designado Fundo do Kuwait com a finalidade de lutar contra pobreza.

A iniciativa tem como estratégia trabalhar em estreita colaboração com as instituições de micro-finanças, facilitando à população, organizações, cooperativas acesso aos financiamentos a título de crédito.

Em declarações a PNN, Marcelino Costa Director-geral desta agência, disse esperar que nos próximos três anos em cada aldeia da Guiné-Bissau a população esteja economicamente mais forte.
De acordo com este responsável, cada grupo de pessoas financiadas deverá todavia fazer devolução dos créditos através das suas poupanças, e confirmou que a agência já concedeu créditos num total de mais de 141 milhões de Cfa nas regiões de Cachéu e Bafatá abrangendo diversas áreas mas particularmente o sector agrícola que pretende reduzir a importação de arroz.

Os sectores das pescas, extracção animal, óleo palma, cultivo de produtos agrícola de ciclo curto constam ainda entre outras áreas de actuação da agência, que vai ser encaminhado nas tabancas mais longes através facilitadores directos ou seja instituições de micro-finanças com experiência junto das comunidades.

Neste momento a Agência de Promoção das Actividades de Poupanças e micro-credito já aprovou um total de 40 projectos, com um valor estimados em mais de 1.301 milhões de Francos Cfa.

Sumba Nansil

(c) PNN Portuguese News Network

2015-11-16 13:46:42

MAIS ARTIGOS...
  Guiné-Bissau: Ministro das Finanças confirma crescimento económico do país
  Royal Air Maroc recruta jovens guineenses como assistentes de bordo
  Guiné-Bissau: População de Varela ameaça boicotar reunião com empresa Poto
  Guiné-Bissau: Governo pretende elaborar orçamentos realistas
  Guiné-Bissau: Governo confirma moratória de cinco anos para corte de madeiras
  Guiné-Bissau vai beneficiar por ser um dos Países Menos Avançados
  Barcos com cadávares dão à costa do Japão
  Guiné-Bissau: Banco Mundial revê despesas na Defesa e Segurança
  Hollande e Putin juntam-se para analisar em Moscovo ofensiva ao EI
  Governo assina com BAD acordos de financiamento de 19 mil milhões de Francos Cfa
  Guiné-Bissau disposta a receber propostas de investimentos chineses
  Uma missão empresarial chinesa está na Guiné-Bissau

Comentários

Nome:

E-mail:

Comentário:


Comentários
  
juvencio sanca  2015-11-17 21:33:50
nos tambem de bolama queremos bancos e western uniao para poder trabalhar sem riscos!!! imaginando que um profesor ou uma infermeira no fim do mes tiverao de traversar oceano para ir bissau para recoltar um magro salario isso é um risco de fogança no mar oss que tem dinheiro em bolama nao pode lhes guarde em casa com medo de roubo ou bagabagas, tiverao de ir a bissau por lhe abrigau isto e uma pobreza quando queria trabalhar em bolama estao eles mao limpa sem nada, e os de bissau trabalha com os dinheiro de bolama


Hospedagem de Sites Low CostJornal Digital Cabinda Digital Timor Digital Luanda Digital Jornal de São Tomé Cabo Verde Maputo Digital
Notícias grátis no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais