Links Úteis
Confidencial

Subscrever Newsletter

Sociedade

Não estamos contra qualquer prática religiosa

Guiné-Bissau: Governo reuniu com a comunidade muçulmana sobre proibição do véu integral

Bissau – Preocupação das autoridades guineenses face à proliferação do uso de véus islâmicos no país levou o Governo a reunir esta segunda-feira 22 de Novembro com a comunidade muçulmana.

Um encontro que foi presidido pelo Secretário de Estado da Ordem Pública, Luís Manuel Cabral, e no qual participaram representantes do Conselho Nacional Islâmico e o Conselho Superior dos Assuntos Islâmicos da Guiné-Bissau.

Falando em nome do grupo que reuniu com o Secretário de Estado, Tcherno Siradjo Bari disse que no mundo estão em curso vários conflitos, esta situação de conflituosidade justifica que cada Estado tem o dever se prevenir das consequências, no entanto é necessário respeitar a religião islâmica.

Neste âmbito, Siradjo Bari disse que concordava com a iniciativa do Governo em proibir o uso de véu integral por alguns membros da comunidade islâmica. “Fomos informados que o Governo quer tomar medidas, mas pelo respeito a nossa comunidade ele chamou-nos para pedir informação e consulta em relação ao assunto”, disse Bari.

Para Luís Manuel Cabral a situação de vulnerabilidade da Guiné-Bissau em termos de segurança obriga à prevenção da criminalidade e particularmente à circulação e acção de fundamentalistas islâmicos.

Face a estas ameaças Luís Manuel Cabral disse que os líderes religiosos concordaram com a posição do Governo em proibir o uso véu integral no país. “Não estamos contra qualquer prática religiosa, o que está em causa é o controlo das pessoas e a segurança interna do país” mas também porque “no ponto de vista operativo, ficamos com inquietudes, porque não sabemos com quem relacionam dia-a-dia”, disse confirmando que vai informar o chefe do Governo sobre as conclusões do encontro.


Por fim Luís Manuel Cabral reconheceu que a situação é preocupante e lembrou que a Guiné-Bissau é um país laico, pelo que qualquer pessoa é livre de praticar a sua fé de acordo com as leis vigentes no país.

(c) PNN Portuguese News Network

2015-11-24 16:50:02

MAIS ARTIGOS...
  Mau tempo no Instituto de Meteorologia
  Governo garante que enfermeiros vão receber onze meses de salários em atraso
  Intoxicação alimentar provocou a morte de duas pessoas em Suzana
  Crise Política cada vez mais agudizada
  Está controlado o surto de diarreia
  Governo reforça medidas contra a pesca ilegal
  Ex-Chefe adjunto da contra inteligência militar condenado a 10 anos de prisão
  Ex-administrador da SAD do União de Leiria recapturado na Gâmbia
  Presumíveis agressores do Ministro Orlando Mendes Veigas vão ser julgados
  Comissário Nacional da Polícia da Ordem Publica exonerado
  Guiné-Bissau em risco de colapso da capacidade de resposta judiciária
  MAI disponibiliza mais de 1.300 homens para garantir a segurança no Natal e Ano Novo

Comentários

Nome:

E-mail:

Comentário:


Comentários
  
no fala no hospital pa é ka miti aparelho na curpo di no meninas  2015-11-29 12:33:32
antes de tudo e melhor chamar as pessoas especializadas na devida area,isso e muito melhor ,dizendo acabar com o veu integral mas sim deixando a famosa tchuna que esta destruindo a nossa sociedade as calçons curtas,o uso de preservativos para as meninas e as meninas de idades de 14,15, 16 , 17 18 anos indo ao hospital para meter o aparelho nos seus corpos para evitar a gravidez,coisa que e muito grave a luz da religiao

mamudo balde  2015-11-26 13:09:10
Usò de veu integral e um lei de musulmano Deus allah ki obriga kada mulher musulmana deve usar

Vensam Gomes  2015-11-25 16:27:28
A utilização do véu intégral na religião musulmana na guiné bissau é insulto culturosamente ao pais! Por que o pais não nasceu com essa comunidade musulmana. E por fim as nossas culturas não reconhecem o culto musulmanos! Prinspalmente as nossas irâns [ tchôn de guiné bissau ] Apesar das dominaçãos provocadas nas guerras do imperios do Mali alastrou-se para à africa oscidental. A medida de implantação forciosamente a sua religião musulmana. Em guiné bissau conseguiram dominar as duas regiãos [ Bafata e Gabu] antigamente habitadas pelas étinias Balantas. Mais por fim as duas étinias [ Fulas e Mandigas] entraram em choques numa guerra férros de cansala. As consquencias levaram varios mortos entre as duas étinias e por hoje em dia resultou os disantendimentos entre os dois rivais étinicos! Antigamente os musulmanos da guiné bissau [ Fulas e Mandigas] não conheciam o uso da mascra integral! Mais, apois do fluxo émigratorias dos paises vinhos vindo d'Africa ocidental e emplantarem na nossa guiné bissau, trazendo o uso da mascra integral e que veiu culominar também os nossos pratcantes de essa religião musulmana ao pratico de esse uso da mascra integral. Do meu intender, peso-vous a todos praticantes da réligião mussulmana; isso não passa de falta do respeito para as outras cumunidades religiosas e as culturas enxistentes no pais!
Jà chamei varias vezes as cumunidades guinénnsses sobre o facto do cumunitaratararissimo que veiu nascer no pais, sem as asas para voar! Apesar que o pais foi vendido pelos antigos ditadores politicos, apois dos golpitas chegarem ao poder, mais hoje não facil recuperar o que existia na era colonial portuguesa: por que não havia tantas mosquitas contruidas no pais prinspalmente no capital "Bissau".
Do meu ponto da vista, comparo a filtração mussulmana indentico a filtração da àgua salgada do mar. Antes de ela destruir Orique, ela jà tem passado por baixo do solo!



Hospedagem de Sites Low CostJornal Digital Cabinda Digital Timor Digital Luanda Digital Jornal de São Tomé Cabo Verde Maputo Digital
Notícias grátis no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais